Voyer

pósbanho2

Naquele dia quando eu acordei, você achou que eu continuava dormindo. Eu senti seus olhos que verificaram algumas vezes se os meus não estavam abertos, e não os abrir até ter certeza que você deixara de se preocupar. E nessa hora você já estava tão imerso que não notou minha fixação. Você saiu da cama, estava de pau duro, mas não pareceu levar isso em consideração. Andou de um lado pro outro no quarto, com ele apontando para cima, enquanto pensava no que fazer. Deu uma longa espreguiçada, sacudiu os cabelos, como se para ajudar a despertar. Abriu uma frestinha da janela, tomando cuidado para a luz do sol não invadir o quarto todo e me acordar sem estar no meu horário. Deu uma coçada na coxa, e fez um breve carinho no pinto, como se dissesse para ele que estava tudo bem. Outra espreguiçada e um bocejo, seguido de um cigarro acesso e muitas tragadas. Depois disso você apenas continuou lá, parado, contemplando o que provavelmente eram apenas pombos pousando em fios de eletricidade. Sua cara de paisagem, seu pinto duro. Sentado, pelado. Não podia ser mais cômico. Eu nunca fiquei tão excitada em toda a minha vida. Eu nunca desejei tanto você.

Só que eu continuei fingindo dormir. Batalhando aquele tesão em silêncio, escondendo de você a vontade.

Quando você me toca a magia some. E eu queria viver um pouco mais naquele mundo de fantasia.

, Sam Terri

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s