Nada

casa

José morava no meio do nada. Não tinha vizinhos, não tinha amigos, não tinha parentes, não tinha ninguém. Aliás, pouco tinha. Tinha a casa. Uma casa velha e coisas velhas. Cama velha, geladeira velha, televisão velha. O que muito tinha eram reclamações. Da goteira, do frio, do travesseiro duro. Reclamava pro nada e o nada só escutava. As vezes um eco respondia, mas era só eco, não era nada.

Um dia entrou um besouro em sua casa. José o pisou e o chutou porta afora. E então voltou a ficar sozinho no meio do nada. Sem vizinhos, sem parentes, sem besouro, sem ninguém.

 

, Ella A.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s