Pesadelo

re na areia

A linha se formou embaixo do seu pé, não conseguiu evitar de pisá-la. Em pânico, correu, pisando em várias outras linhas.

A cada linha pisada, se assustava, e num salto acabava pousando em outra linha.

Acordou ofegante daquele que julgou ser seu pesadelo mais perturbador.

 

 

, Ella A.

 

Ali

DSC_2542_

De repente o tempo parou e parece que só Laura percebeu.

As ondas não quebravam, as sombras não se moviam, o vento não passava. Não se ouvia sequer um gralhar, um cricrilar, o barulho do mar, de pisadas… Mal se ouvia o silêncio.

Os cheiros também pararam. Nada da maresia, do protetor solar.

Não se viam barcos, nem peixes, nem furinhos na areia.

 

Não tinha nada nem ninguém ali, nem Laura.

 

, Ella A.